Propósito e Realização

O que move profissionais de todas as áreas na busca pelo novo e o que as empresas podem aprender com isso?

A palavra propósito é essencial no conceito de felicidade e realização pessoal no trabalho. Mas o que de fato é um propósito? A razão pela qual não existe uma resposta pronta e fechada, está no fato que um propósito tem uma conexão muito específica com a identidade, as habilidades, as crenças e as aspirações de uma pessoa. 

A busca por um propósito nasce de inquietações e dá início a uma jornada pessoal, nesse contexto, o autoconhecimento é a chave para perceber o potencial que existe nas aptidões, talentos, experiências e realizações de um profissional. No entanto, alguns pontos que interferem na realização no trabalho vão além da esfera individual, é o caso do ambiente profissional, o principal cenário onde esta jornada contará uma história. Profissionais realizados, no lugar certo, entregando algo que faça sentido, proporcionam benefícios para o bem-estar geral de uma organização.

Conduzir a vida pessoal e profissional em direção a realização, de forma simultânea é uma pretensão ambiciosa demais para muitos profissionais. Infelizmente é muito comum encontrar pessoas que não se identificam com a carreira escolhida e atuam de forma desconectada com os propósitos da empresa. A falta de equilíbrio entre a vida profissional e as habilidades pessoais, remunerações inadequadas e a falta de perspectiva de crescimento profissional são os principais fatores que levam profissionais a insatisfação pessoal.

A geração Z é uma geração guiada por propósitos. Seus porquês são tão decisivos que são capazes de fazer escolhas de carreira com base no impacto que sua atuação pode gerar em comunidades e geografias, essa é a geração que deseja pertencer a instituições engajadas com causas ambientais e sociais. A geração Z é movida pela diferença que faz no mundo.

Colaboradores felizes

são mais criativos e produzem mais!

Um estudo desenvolvido pela Universidade de Harvard formalizou um conhecimento intuitivo. A pesquisa identificou que um colaborador feliz é, em média, 31% mais produtivo, triplamente mais criativo e vende 37% a mais em comparação com outros.

Muitas empresas ainda têm um mindset de que a felicidade é a recompensa de resultados. Mas o que vem primeiro? A ordem da equação pode revelar resultados completamente diferentes. Na última década, uma série de pesquisas têm mostrado que a ordem da equação é inversa. Quando a saúde e bem-estar dos colaboradores é prioridade, as empresas desfrutam de um alto desempenho profissional.

As mais recentes teorias da ciência da felicidade no trabalho, mostram descobertas relevantes desse campo de estudo e provam como a felicidade e a realização dos colaboradores se aplicam no ambiente corporativo. De acordo com uma pesquisa da Harvard Business Review revelou que colaboradores satisfeitos são 31% mais produtivos e 85% mais eficientes.

A premissa de que a felicidade é a recompensa de bons resultados, pode ser um caminho mais longo em direção a realização. As gerações anteriores passaram décadas afirmando que o trabalho duro conduz ao sucesso. Mas de qual sucesso essa premissa se trata? O sucesso na perspectiva das novas gerações no mercado de trabalho não é mais o resultado de uma carreira longa, com recompensas institucionais a longo prazo. 

Chief happiness officer,

Você conhece a nova posição profissional de um diretor de felicidade?

A realização profissional e o exercício de um propósito passa por um caminho de felicidade no trabalho. O assunto tem ganhado relevância ao passo que a geração Z rompe paradigmas com sua forma de pensar e atuar. Existe até uma posição criada especialmente para essa tendência, o chief happiness officer – CHO, que tem o objetivo de garantir que os colaboradores sejam felizes. Além disso, existem consultorias de felicidade corporativa, criadas para implementar estratégias como pesquisas e treinamentos com equipes. Esse trabalho conecta abordagens sobre segurança psicológica e psicologia positiva e desenvolve estratégias para promover a felicidade no trabalho.

A certificação em CHO forma profissionais responsáveis pela felicidade corporativa, através de estratégias e ações que elevem a felicidade dos colaboradores. Suas atividades incluem engajar a liderança, medir o cenário da felicidade na empresa, planejar e implantar novas ações que promovam a felicidade no trabalho. Empresas como Amazon, Google e Airbnb já possuem um Chief Happiness Officer em suas estruturas. O resultado de uma atuação CHO são maiores índices de produtividade e engajamento da equipe. Criatividade, vendas, relações profissionais e resultados são potencializados por pessoas felizes. 

No Brasil essa tendência tem um potencial transformador, afinal o país ocupa o quinto lugar no ranking mundial da depressão, de acordo com a Organização Mundial da Saúde. O último grande mapeamento global de transtornos mentais, realizado pela OMS, mostrou que o Brasil possui a população com a maior prevalência de transtornos de ansiedade do mundo.

Conquistar a realização profissional é uma possibilidade real. Encontrar um propósito pode ser essencial para essa conquista. As pesquisas, os números e a tendência em novos cargos de gestores da felicidade comprovam essa demanda. Novas necessidades foram antecipadas pela pandemia em 2020, três anos depois, as consequência da crise mundial de saúde são palpáveis e ministradas por um senso de urgência dentro das organizações. 

Pessoas felizes no trabalho mostram resiliência para enfrentar desafios e superar dificuldades, veem as soluções como uma oportunidade e não como um problema, afinal possuem um ‘porquê’, chamado de propósito. A inovação e a criatividade aparecem em doses expressivas em pessoas que estão realizadas profissionalmente, logo, a produtividade cresce e os números aparecem. Cooperação e orgulho em pertencer são ganhos naturais em equipes engajadas com seus propósitos, exercendo sua realização profissional.

Amar a profissão não significa estar alegre o tempo todo, mas ficou comprovado que pessoas felizes trabalham melhor e, consequentemente, se engajam mais, a felicidade e a realização pessoal traz resultados extraordinários para a empresa. Nessa equação, somar talentos e pensar de forma estratégica na busca de profissionais de alta performance faz toda a diferença. A C-LEVEL GROUP entende sobre contratar pessoas conectadas com o propósito da sua organização e como trazer melhores talentos. Se você procura conhecer mais sobre o tema, entre em contato com a C-LEVEL e conheça a diferença em poder contar com quem tem compromisso com seus resultados.

Outros Posts

Conselhos de Alto Impacto e Visão de Futuro

Conheça as Tendências que mais Crescem no Mundo

GenAI: O Poder da Inteligência Artificial Generativa no Futuro Empresarial